Ir direto para menu de acessibilidade.
Brasil – Governo Federal | Acesso à informação
Página inicial > Publicações > Professores de Matemática do IFPA – Paragominas se destacam em premiações nacionais
Início do conteúdo da página

Professores de Matemática do IFPA – Paragominas se destacam em premiações nacionais

  • Acessos: 293
Professor Samy Lourenço de camiseta cinza em sua defesa de seu projeto Professor Hebison Almeida

Figura 1: Professores Samy Lourenço e Hebison Almeida, respectivamente.

Fonte: Site da Sociedade Brasileira de Matemática (2023) e acervo pessoal do professor Hebison Almeida (2024).

 

Com participações exitosas no 1º Encontro Nacional do Mestrado PROFMAT, coordenado pela Sociedade Brasileira de Matemática (SBM), e no Prêmio LED – Luz na Educação, premiação organizada pelas empresas Globo, os professores Samy Lourenço e Hebison Almeida, do IFPA campus Paragominas, se destacaram em concursos científicos de alcance nacional.

No final de 2023, a SBM coordenou o 1º Encontro Nacional do Mestrado PROFMAT, programa que tem apoio do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), entidade de ensino e pesquisa vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e ao Ministério da Educação (MEC). Na cerimônia, realizada na cidade maravilhosa, cinco trabalhos foram agraciados – um de cada região do país. Do Norte, o professor Samy Lourenço, docente do Curso Técnico Integrado em Meio Ambiente e das graduações em Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Licenciatura em Matemática, oferecidos pelo IFPA Paragominas, levou o prêmio de melhor dissertação com o trabalho intitulado “Clube de Matemática: um aplicativo desenvolvido para conectar alunos e professores a um banco de questões da OBMEP”. O trabalho foi orientado pelo Prof. Dr. Valdelírio da Silva e Silva (UFPA).

Em novembro do ano passado, o professor Hebison Almeida também vivenciou momento de reconhecimento. Ele foi semifinalista da premiação LED 2024, organizada pelas empresas Globo. O concurso é dividido em três categorias, que têm a inovação na área da educação como característica comum. Espalhados pelo Brasil, atuam para mudar a realidade com soluções de qualidade, seja na educação básica, educação profissional ou técnica, educação não-formal ou Ensino Superior, os quatro eixos contemplados na chamada. Dentre as mais de 2 mil iniciativas inscritas no Prêmio LED 2024, 60 semifinalistas foram selecionados, inclusive a proposta intitulada “Jogos matemáticos
para deficientes visuais”, organizada pelo professor, atual responsável pela Coordenação de Ensino e Políticas Educacionais do campus Paragominas. As turmas que participaram produzindo os jogos foram o 1º, 2º e 3º anos de Informática do polo Caip e a turma do 3ºA de Administração na sede, em Paragominas.

 

 7 figuras quadradas com diferentes formas geométricas no centro  5 pedaços de papel retangulares. O primeiro possui em título o número 4 e, logo abaixo, a escrita em braille desse número. A segunda figura segue o mesmo princípio, mas o título é a letra X, simbolizando uma multiplicação, e abaixo do título a mesma letra escrita em braille. Logo após temos o número 5 e sua escrita em braille, seguido pelo sinal de igualdade e sua escrita em braille, que, por sua vez, é seguido pela carta de título 20 com sua escrita em Braille. Dessa forma, a imagem contém a multiplicação de 4 vezes 5 que é igual a 20.
 5 cubos em uma mesa com figuras geométricas feitas de barbante em seus centros  Jogo da velha feito com o X e o círculo em alto relevo

 

Próximos passos – Para o professor Samy Lourenço, o doutorado é uma possibilidade. Em entrevista para o site da SMB, o professor afirma que gostaria de cursar a pós-graduação do PROFMAT, que é um projeto da nova diretoria do SMB. Mesmo um grande desafio, o professor se mostra apto. “Sempre gostei de trabalhar com desafios, questões mais desafiadoras”, explica.


Já para o professor Hebison Almeida, a próxima etapa consiste nos ajustes dos jogos elaborados e a doação destes jogos para uma escola da rede municipal de educação, para a utilização com alunos que possuem deficiência visual, visando, assim, contribuir para o processo de ensino e sobre a jogabilidade e resistência dos materiais durante a execução dos jogos.

registrado em:
Fim do conteúdo da página
-->